08. As Coligações de Kether

As Coligações de Kether

As Coligações de Kether

Título original em Inglês:
The Rings of Kether

Título em Português (PT):
Os Círculos de Kether

Numeração original:
# 15

Autor:
Andrew Chapman

Lançamento (edição original):
1 de Maio de 1985

Ilustrações:
Nik Spender.

Ilustração da capa por:
Terry Oakes

Tradução para Português-BR:
Lilia Leal de Oliveira

Corrupção é um meio de vida no sistema Aleph Cygni e o fluxo de Satophil-d, um narcótico ilícito, que sai dos espaçoportos de Kether tem crescido em proporções gigantescas”. Diversas tentativas foram feitas para quebrar as famosas coligações de drogas de Kether, sem qualquer sucesso. Agora a Federação Galáctica confiou a VOCÊ essa perigosa missão secreta, nesse lugar selvagem e sem lei. Mas você será bem sucedido?

Nesta eletrizante aventura de ficção científica, o protagonista faz o papel de um investigador Grau 1 (o mais preparado e experiente) convocado pela Central Policial da Federação Galáctica para descobrir o esquema de tráfico de drogas no sistema de Aleph Cygni, desbaratar a quadrilha, encontrar a origem da produção dessa droga e prender os responsáveis. Uma vez que a administração local se mostrou deficiente para impedir o comércio ilegal, caberá ao herói investigar sozinho os traficantes e destruir o trafico ilegal de drogas. Satophil-d é um produto químico e narcótico ilegal. Uma substância proibida em todos os sistemas, mas que, no entanto, é comercializada livremente nesse sistema e principalmente em seu planeta principal, Kether. Disfarçado de mercador de frutas e especiarias exóticas, o protagonista deve viajar até Kether para investigar o problema. Ao chegar em Kether, haverá uma série de lugares onde o protagonista poderá iniciar suas investigações. Durante o percurso, ele esbarrará em suspeitos, robôs, alienígenas, assassinos, policiais corruptos e traficantes. Cada pista encontrada poderá levá-lo cada vez mais perto de seu objetivo principal ou frustrá-lo completamente com caminhos errados e lugares inúteis. O tempo nesta aventura é fundamental e se o herói demorar em encontrar as pistas corretas que levem até os vilões, a própria Central Federal informará sobre a sua falha na missão.

Esta com certeza é uma das melhores aventuras espaciais da série, pois ele é metade ficção científica, metade romance-policial. Como o herói desta aventura é um detetive, caberá a ele interrogar pessoas, encontrar pistas, vasculhar arquivos e seguir suspeitos. Ele porta uma arma de fasers conhecida como “Bláster”, uma pistola extremamente letal, mas no decorrer da missão o personagem poderá encontrar e adquirir novas armas como um canhão de fasers e granadas. Outros itens que o herói carrega são um punhado de Tabletes de Energia (provisões) e dinheiro (Kopecks) para comprar itens, obter informações e suborno. Há diversos personagens interessantes nessa aventura como o cabeça da organização criminosa de tráfico ilícito; um homem misterioso e muito perigoso conhecido como “Bláster” Babbet. A organização criminosa que ele comanda opera em uma rede que alcança até mesmo a força policial dentro do sistema de Aleph Cygni, por isso ninguém no lugar é confiável. Na busca pelos responsáveis, haverá diversas situações de extrema adrenalina, como uma perseguição de carros em alta velocidade pelas estradas de Kether (um dos pontos altos da aventura), homicídios a serem investigados e diversas tentativas de assassinato. Intrigas são jogadas ao monte às informações coletadas e muitas delas podem se tornar pistas falsas que levarão o protagonista à pura perda de tempo. Como o herói é portador de uma espaçonave pequena, poderá haver também diversas batalhas no espaço com naves inimigas, conforme o herói viaja para satélites e planetas fora de Kether. A grande vantagem para se jogar esta aventura é a extrema liberdade que o leitor tem para visitar localidades, interrogar friamente suspeitos, invadir casas e lugares onde podem se esconder pistas fundamentais e também pelos ótimos diálogos entre o herói e os personagens da história. A construção dos personagens também é muito significativa, entre eles a de Zera Gross, uma mulher tão abjeta e desagradável, mas descrita de forma tão sutil, que fará o leitor ter uma vontade única de confrontá-la a qualquer preço. Como ela é uma das figuras chave da história, para se chegar até o chefe dos traficantes será necessário encontrá-la.

A última parte da aventura também é muito tensa e satisfatória, uma vez que o herói estará sozinho dentro da base secreta dos traficantes, cercado de inimigos e de toda sorte de andróides e alienígenas malignos. É uma aventura tão legal que lhe permite concluí-la com dois finais. Um deles é bem explosivo, mas acaba de forma muito satisfatória. O segundo compreende a prisão do chefe da organização criminosa – o que é mais esperado pela Central Federal. O combate final com “Bláster” Babbet compreende um enigma a ser decifrado pelo herói (que na verdade não tem mistério nenhum) e uma simples luta. De certa forma é uma aventura bem organizada, que dá inteira liberdade ao protagonista de circular pelas páginas do livro em busca de pistas que levem até à organização criminosa e também pela multiplicidade de situações dependendo de qual foi o caminho escolhido pelo leitor, que pode compreender perseguições automobilísticas, batalhas entre espaçonaves, ser capturado pelos bandidos, fugir dos bandidos, investigar localidades suspeitas, ir a lugares onde encontram-se pistas falsas, diálogos cheios de intriga, policias corruptos e tiroteios emocionantes.

Notas e curiosidades:

  • O livro contém dois finais, sendo um deles terminando tradicionalmente na referência 400.
  • Na série brasileira, este é o primeiro livro que não foi escrito pela dupla Steve Jackson ou Ian Livingstone ou ambos (embora o primeiro livro de fato tenha sido o “Pântano do Escorpião” de Steve Jackson, mas o americano. Isso mesmo! Há dois escritores chamados Steve Jackson, um americano e outro inglês – o criador da série); como a demanda dos pedidos pelos fãs se tornou imensa, os autores resolveram convidar outros escritores para criarem as histórias, como é o caso de Andrew Chapman neste livro. No entanto o nome dos escritores não aparece na capa, mas sim os dos criadores originais, Jackson e Livingstone.
  • Neste livro não há nenhuma menção de dedicações por parte do autor.
  • Andrew Chapman também escreveu “Mares de Sangue” e o livro-jogo duplo “Fúria de Príncipes” (este último com Martin Allen) e outro livro que não foi publicado no Brasil – “Assassino do Espaço”.
  • Foi o oitavo livro publicado no Brasil (a editora brasileira infelizmente acabou pulando alguns livros que acabaram não sendo publicados, como “A Ilha do Rei Lagarto”, “Pântano do Escorpião” e “Assassino do Espaço”).

Localização: Espaço.
Localidades: Sistema Galáctico de Aleph Cygni.
Referências: 400

Review por: Thiago Macieira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: