07. O Templo do Terror

O Templo do Terror

O Templo do Terror

Título original em Inglês:
Temple of Terror

Título em Português (PT):
O Templo do Terror

Numeração original:
# 14

Autor:
Ian Livingstone

Lançamento (edição original):
25 de Abril de 1985

Ilustrações:
Bill Houston.

Ilustração da capa por:
Christos Achilleos

Tradução para Português-BR:
Marco Antonio Esteves da Rocha
Renato Aguiar

O sombrio poder do jovem Malbordus está chegando ao seu ápice. Os elfos que o criaram atribuíram-lhe uma tarefa final: reaver os cinco artefatos do Dragão escondidos por séculos na cidade perdida de Vatos, em algum lugar no Deserto dos Crânios. Somente quando os tiver em seu poder ele será capaz de rebelar-se e submeter Allansia. Cada dia que passa o aproxima mais desse objetivo, e somente VOCÊ pode detê-lo! Sua missão é atravessar as areias escaldantes do deserto, encontrar a misteriosa cidade perdida e destruir os tesouros que Malbordus está procurando, antes que ele possa alcançá-los. Mas cuidado! Cada passo que você dá o aproxima mais de sua perdição.

Depois de uma missão bem sucedida (presume-se, a busca pelo Martelo de Stonebridge na Floresta de Darkwood em “A Floresta da Destruição”), o protagonista da história encontra-se descansando por alguns dias na amigável aldeia dos Anões de Stonebridge, quando uma comoção interrompe o silêncio e a paz do lugar. Trata-se do velho mago Yaztromo, que busca na vila dos Anões ajuda para uma perigosa tarefa. O feiticeiro descobriu um plano de dominação de toda Allansia perpetrado pelos malignos Elfos Negros e um de seus mais temíveis líderes, o sombrio Malbordus – o Filho da tempestade. Percebendo a hesitação dos Anões, o aventureiro se prontifica em auxílio do mago. Yaztromo então o convida para dirigir-se até sua torre, no lado sul da Floresta de Darkwood. No caminho, ele lhe conta a respeito do jovem Malbordus e de sua sede de poder pela magia secreta dos Elfos Negros. Ele foi abandonado ainda criança por sua mãe e encontrado pelos malignos Elfos Negros. Estes o levaram para seus reinos subterrâneos e lá ele foi criado à maneira deles. Ainda criança desenvolveu poderes extraordinários e possuía muita facilidade de aprendizado. Durante seu crescimento foi dado a ele diversos testes para verificar se era de fato capaz de receber a magia secreta dos Elfos Negros, magia essa tão vil que mata os usuários despreparados. Foi na busca de tais poderes que Malbordus exercitou sua maldade e semeou seu ódio por todas as criaturas da superfície. Seus mestres então lhe deram uma tarefa final: reaver os cinco artefatos do Dragão, escondidos nas catacumbas da cidade perdida de Vatos, no Deserto dos Crânios. Com a aquisição desses artefatos e após receber a magia secreta, Malbordus poderá dar vida a esses Dragões e liderar um exército indestrutível que dominará todas as terras de Allansia e as colocará sobre domínio permanente dos Elfos Negros. Yaztromo, sabendo da urgência da missão e no ímpeto de poder ajudar o aventureiro, também ensina algumas mágicas simples para ele, como Abrir Portas, Flecha Mágica, Luz, Saltar, etc. Munido de alguns destes poderes e com uma pequena ajuda em ouro do mago, o herói viaja rapidamente para o Deserto dos Crânios, havendo duas rotas para tal feito: caminhar pela Planície Sul e chegar ao deserto pelo norte ou viajar até Porto Blacksand e de lá pagar um navio que o deixará na costa oeste do deserto. No entanto os perigos são muitos e Malbordus sabe que não está sozinho na busca pelos artefatos, por isso ele enviará diversos emissários e assassinos para frustrar a tentativa do herói.

Uma vez no escaldante Deserto dos Crânios, o leitor deverá encontrar a cidade perdida. Não será muito difícil de encontrá-la, no entanto haverá diversos perigos escondidos debaixo dessas dunas mortais. Vermes Gigantes, Basiliscos e tempestades de areia são amostras do que esconde esse lugar infernal. Chegando em Vatos, o protagonista descobrirá que o lugar não está tão abandonado assim, uma vez que o lugar, apesar de desabitado há gerações, ainda serve de refúgio para um culto secreto de adoração de deuses malignos do deserto! Além de enfrentar Malbordus e seus servos, o herói ainda vai ter que lutar pela própria vida com os cultistas malignos e suas criaturas infernais. Os artefatos encontram-se nas catacumbas abaixo da cidade, onde também se localiza o templo secreto destes adoradores do Mal. O leitor deverá procurar por salas, corredores, paredes secretas e salões em busca dos itens. No entanto, Malbordus também contratou um terrível assassino para eliminar o aventureiro: trata-se do diabólico Mensageiro da Morte, um matador incansável e sobrenatural que brinca com suas vítimas, espalhando as cinco letras da apalavra MORTE pelas salas e corredores que o herói percorrerá no futuro, uma vez que ele consiga encontrar as cinco letras, o aventureiro morrerá e o assassino terá cumprido com seu dever. Com isso a busca fica ainda mais difícil, pois o aventureiro pensará duas vezes antes de abrir qualquer baú que encontrar, pois ele pode reservar um destino nada feliz. Dentro das catacumbas há outros inimigos, como mortos-vivos reanimados por feitiçaria; animais, armadilhas e caminhos errados. Infelizmente para o leitor, Malbordus aparentemente só precisa encontrar um Dragão para que seu objetivo se complete e se ao final, o aventureiro não tiver encontrado nenhum, então terá falhado e a aventura terminará. No final do labirinto, como era de se esperar, Malbordus estará esperando o aventureiro encontrar todos os artefatos, fazendo o jogo sujo que lhe cabia para no final matá-lo e pegar os Dragões.

Mais um livro-jogo muito bom de Ian Livingstone, o autor nos traz uma aventura quase épica. Dividida em duas partes. A primeira parte compreende da partida do herói da Torre de Yaztromo até Vatos e a segunda parte compreende as catacumbas que levam até o templo maligno.

O início do labirinto é relativamente fácil e sem muitos perigos, mas à medida que o leitor percorre o santuário interno da masmorra e chega ao templo, aí a dificuldade se eleva de maneira vertiginosa. Com este livro nós percebemos mais da construção aos poucos do vasto continente de Allansia e do mundo de Titan. Nessa eletrizante aventura, fazemos uma rápida visita a Porto Blacksand, a Cidade dos ladrões, e a famosa Taverna Lagosta Negra, onde brigas são sempre comuns. Com certeza a visita à cidade é um dos pontos altos da aventura. O nível eleva-se ainda mais com a inserção de um sombrio personagem: O Mensageiro da Morte, e seu jogo maléfico. Cada letra encontrada pelo leitor o aproxima mais da palavra sinistra que é o objetivo dele para com o herói. Portanto, em Vatos, haverá cinco artefatos do Dragão, bem como cinco letras malditas. As criaturas encontradas no templo também são muito difíceis, como o Orc Mutante, servo pessoal de Malbordus, e o Horror Noturno – a batalha com este último é muito bem planejada e perigosa. Os Dragões estão muito bem escondidos e um corredor errado simplesmente acabará com qualquer chance de encontrá-los. A batalha final com Malbordus será de altíssima dificuldade se o aventureiro não tiver encontrado certos itens. Por ser conhecedor de magia, ele a usará sem perdão. No entanto, com o uso do objeto correto, a batalha não será nenhum bicho de sete cabeças, comparado às batalhas anteriores, e se resumirá a um mero duelo de espadas. Enfim temos uma excelente aventura, que diferente dos livros anteriores, explora uma área muito maior e desconhecida de Allansia, como planícies, rios, cidades, desertos e (claro!) masmorras. Também dispomos de uma série de magias que podemos utilizar para facilitar nossas vidas, embora muitas delas, usadas erroneamente, permitirão consequências trágicas. Apesar de não ser uma aventura tão difícil quanto o Calabouço da Morte, por exemplo, é bastante emocionante, principalmente com a batalha pessoal – e exótica – entre o protagonista e o Mensageiro da Morte, sem dúvida, um dos grandes triunfos do sucesso desta aventura pelos fãs da série.

Notas e curiosidades:

  • Há um erro de continuidade, pois quando o aventureiro chega até a sala do Golem, o livro nos conta que ele é primeiramente feito de bronze, mas quando ele toma vida, o monstro na verdade é um Golem de Pedra.
  • Porto Blacksand é mais uma vez ilustrada nesta aventura, sendo o lugar mais visitado de toda a série, com uma passagem rápidade uma noite pela barulhenta taverna Lagosta Negra.
  • A história detalhada da vida de Malbordus encontra-se no livro Titan – o Mundo de Aventuras Fantásticas.
  • Dependendo da interpretação, esta é uma sequência não oficial de A Floresta da Destruição e As Cavernas da Feiticeira da Neve,compreendendo a última parte da saga.
  • Mais uma vez o aventureiro terá a chance de manejar o Martelo de Stonebridge, a arma mágica do Rei Gillibran.
  • Malbordus, até a sua busca pelos artefatos do Dragão, possui somente 17 anos.
  • Foi republicado em 3 de junho de 2004 pela editora Wizard.
  • No Brasil foi o sétimo livro publicado, embora tenha sido somente o décimo quarto livro das edições originais.

Localização: Allansia, Titan.
Localidades: Stonebridge, Torre de Yaztromo, Porto Blacksand, Planície Sul, Deserto dos Crânios, Vatos.
Referências: 400

Review por: Thiago Macieira

5 Respostas

  1. A parte mais foda que achei é quando ainda se está no deserto, por incrível que pareça.

  2. Sinceramente… A única ação deste livro é o suspense em achar a marca da morte em cada canto. Tirando isso, o livro é de uma narração bem sem graça e pouco envolvente. A impressão que dá é que você está lendo mais do mesmo, sem acrescentar nada de aventura. Outra decepção é que, se Malbordus precisa dos artefatos, por que o jogador não se depara com nenhum inimigo à procura deles? O jogador vai achando os artefatos sem nenhum problema. Espera-se que o próprio Malbordus tenha achado um pessoalmente. O mensageiro da morte é a única barreira para o jogador. No fim, se o objetivo de Malbordus é encontrar os artefatos, por que o jogador fracassa caso não encontre todos? E Malbordus? Se sai da cidade sem nenhum pra que que foi então? Outra incoerência é todo aquele terror de que não se pode enfrentar Malbordus sem magia e no final você enfrenta um cara de habilidade 10, sem nada de especial… Parece que fizeram este livro nas pressas de vender, e se esqueceram de por emoção no livro. Deve muito para as demais aventuras em Allansia.

  3. Uma curiosidade: Há duas referências em que você, mesmo sem ler símbolos, pode decifrar o significado. Na primeira, é fácil de traduzir os símbolos por “DO NOT DRINK” (Não beba). Com isso, quando você se depara com duas portas decisivas, você conseguirá chegar a conclusão que só pode ser: “DOOM” (FATALIDADE) e a outra é “DESTINY” (SINA)

  4. O Calabouço da MOrte para PC
    galera vejam esse jogo, é o calabouço da morte pra jogar no pc… ta um poko lento mais bem legal…não precisa de dados,papel e nem lapis, pois tudo é registrado automaticamente, e não tem como burla pois vc só pode ler a referencia que escolher, boa sorte…esse é o link.
    http://www.4shared.com/file/zQYGA0Y6/O_Calabouo_da_Morte.html

  5. Galera acabei de concluir o Templo do Terror para jogar no PC , ele ésta disponivel em duas comunidades , esta mais rapido e teve algumas mudanças na roleta , nos combates e no menu esta bem legal, espero que gostem, este é o link:

    http://www.4shared.com/file/HecF_L-q/O_Templo_do_Terror.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: