12. Retorno à Montanha de Fogo

Retorno à Montanha de Fogo

Retorno à Montanha de Fogo

Título original em Inglês:
Return to Firetop Mountain

Título em Português (PT):
Regresso à Montanha de Fogo

Numeração original:# 50

Autor:
Ian Livingstone

Lançamento:
Setembro de 2013

Ilustrações:
Martin McKenna

Ilustração da capa por:
Daniel HDR e Ricardo Riamonde

Tradução para Português-BR:
Gustavo Brauner

Dez anos depois, Zagor vive!

O reinado diabólico do maligno feiticeiro Zagor foi encerrado dez anos atrás por um heroico aventureiro que enfrentou os incontáveis perigos da Montanha de Fogo. Mas, pelo poder da magia negra, o enlouquecido mago retornou dos mortos e pretende vingar-se de Allansia. Agora, VOCÊ deve entrar no assustador labirinto e derrotar mais uma vez o Feiticeiro da Montanha de Fogo.

Finalmente! Um retorno à Montanha de Fogo…

Há 10 anos atrás, o reinado do Feiticeiro Zagor foi despachado por um valente aventureiro que desbaratou as câmaras escuras e o labirinto sinuoso no interior da Montanha do Cume de Fogo. No entanto, o mal não pode ser tão facilmente derrotado e agora, uma década depois, o temível bruxo voltou à vida para lançar sua despudorada vingança contra toda Allansia.

Nesta incrível aventura, o leitor toma o papel de um guerreiro (que lástima, não é o mesmo aventureiro da primeira aventura…) que viajou por todo o continente e que o destino levou até o vilarejo de Anvil, no norte de Allansia. Uma vez no lugar, o personagem descobre que muitos aldeões desapareceram e provavelmente foram mortos. Rumores informam que o Feiticeiro da Montanha de Fogo, Oldoran Zagor, retornou à vida através de magia negra. O mago possuía um feitiço protetor que o ressuscitaria, caso seu corpo fosse destruído. Pior, Zagor está sequestrando e matando várias pessoas a fim de construir um novo corpo para si. A vegetação do topo da Montanha, outrora avermelhada, agora se encontra negra e uma atmosfera pesada paira sobre a pequena aldeia. Após aceitar a missão ofertada pelos aldeões de matar o feiticeiro definitivamente, o leitor deve primeiro encontrar Yaztromo, que possui informações vitais sobre o inimigo. É claro, no caminho, os servos do feiticeiro tentarão abreviar a jornada do herói.

O grande mago Yaztromo encontra-se na cidade de Kaad, ajudando os pobres moradores a enfrentar uma peste enviada pelo bruxo que se abateu sobre o lugar. Após escapar de um agente enviado por Zagor para matar o aventureiro (acredite, essa luta pode ser eterna!), o leitor consegue alcançar Yaztromo, que o ajuda com as informações necessárias.

Finalmente, o grande momento chega e o destino leva o aventureiro até a entrada da Montanha, preparado com sua espada e seu escudo para lutar contra os perigos da masmorra. Nessa primeira parte da Montanha, o leitor que jogou a primeira aventura, se lembrará de algumas passagens e aposentos. Uma série de “easter eggs” deixadas pelo escritor nos lembram daquela emocionante jornada. A masmorra está com novos monstros e armadilhas, mas diversos vestígios do passado ainda se encontram no lugar. Entre as nostálgicas referências, podemos citar o empoeirado “Portador do Sono”, o agora esqueleto do guarda goblin (a primeira criatura enfrentada em “O Feiticeiro da Montanha de Fogo), o assento em forma de toco de árvore com o letreiro “Sente-se aqui, fatigado viajante”, a armadilha das alavancas, o barqueiro licantropo etc. Não esqueça que dessa vez há um comércio organizado dentro da Montanha e até uma moeda própria de Zagor é utilizada.

Ao atravessar o rio, o herói entrará num labirinto totalmente redesenhado, que nada lembra àquele de outrora, elaborado por Steve Jackson onde o objetivo principal era fazer o aventureiro andar em círculos pelos corredores. Nesse novo labirinto, monstros mortais e armadilhas maquiavélicas foram construídas para dar um fim abrupto no herói sem rodeios. Os desafios estão muito mais difíceis e a cada esquina novos perigos esgotam os suprimentos vitais do personagem, bem como sua própria energia.

A sorte e o acaso levarão o personagem aventureiro até as câmaras interiores da Montanha, onde está localizado o próprio Feiticeiro. Nesse confronto final, longe de ser aquele mago recluso e fácil de ser derrotado da primeira aventura, agora Zagor é um morto-vivo. Está mais imponente e assustador que há uma década atrás. Seu corpo está sendo reconstruído com os pedaços dos corpos dos moradores de Anvil. Apenas seu braço está faltando e ele olha para o seu com muita cobiça… Zagor agora é muito mais perigoso, pois é um ser que não sente medo ou dor. Além disso, sua magia está mais forte que há dez anos atrás. Nenhuma jóia ou baralho de cartas diminuirá o poder de seus feitiços. Ele não tem necessidade de se transformar num velho para enganar o herói. O feiticeiro não tem espaços dessa vez para fazer negociatas com seus inquisidores!

No entanto, como todo grande vilão, Zagor possui uma fraqueza. E elas estão espalhadas pelo labirinto. Esses objetos são dentes feitos de vários materiais e que contém um poderoso contrafeitiço vital para derrotar a magia do bruxo. Sem esses objetos, a luta já estará condenada a favor do inimigo. Mas, mesmo de posse desses objetos, a vitória não é garantida e a sorte e uma boa dose de vigor ainda será muito necessária para conquistar a vitória. Além disso, o final parece sugerir que o feiticeiro estará de volta em mais uma sequência.

O “Retorno à Montanha de Fogo” está bem mais difícil que a primeira jornada. O enredo está bem mais elaborado também, dando ao leitor um motivo justo para enfrentar os perigos da Montanha e destruir o feiticeiro demoníaco. Muitos itens são necessários para conseguir escapar dos perigos do labirinto e os inimigos possuem habilidade e energia altas o suficiente para tornar a saga praticamente impossível de se finalizar. A aventura continua sendo linear, bem ao estilo Livingstone de se escrever e as ilustrações de McKenna também estão muito mais realistas. Ian Livingstone nos entrega um livro muito bem escrito. Mesmo sem a parceria de Steve Jackson, o livro é bastante satisfatório. Uma aventura completa, feita para os fãs. Não é apenas mais uma masmorra de RPG. É a primeira masmorra, remodelada, mas que nos iniciou num mundo fantástico que com muito prazer continua a tomar nossas horas do dia instigando nossa imaginação e sacia mais uma vez o nosso apetite por aventuras em Allansia justamente num dos lugares mais icônicos e nostálgicos do mundo de Titan.

Revisitar a montanha de Fogo será sempre um prazer e encarar velhos inimigos não tem preço.

Notas e curiosidades:

  • Ian Livingstone faz uma aparição como o inquisidor (referência 262) que tinha frequentado a Escola de Magia Negra de Volgera Darkstorm e estudou com o necromante Hellmoon antes de servir Zagor e guardar o caminho para o santuário interno da Montanha de Fogo.
  • Da série original, este foi o 50º livro e foi escrito para fechar a série com chave de ouro. Porém o sucesso foi inesperado e as ótimas vendas deram um novo fôlego à coleção, que ganhou mais nove livros.
  • Zagor, fará uma terceira aparição e será o antagonista do livro “Legend of Zagor”, o 54º livro da série original inglesa, também escrito por Ian Livingstone.
  • Livingstone dedicou o livro à tripulação que foi patrocinada pela Games Workshop que venceu o “Daily Telegraph Ultra 30 Grand Prix UK Championship” em 1990 e 1991.
  • Em uma determinada parte do livro, você estará em uma biblioteca e, dos livros que estão nas prateleiras, cinco são nomeados, sendo que dois destes são livros escritos pelo próprio Ian Livingstone: Urna das Almas (Casket of Souls) e Olho do Dragão (Eye of the Dragon).
  • Na referência 209, os potes parecem ter sido misturados.
  • Nesse livro, o aventureiro inicia sua jornada sem nenhuma provisão.

Localização: Allansia, Titan
Localidades: Anvil, aldeia de Bigorna, aldeia Ponte de Pedra, floresta Madeira Negra, planícies pagãs, Kaad, taverna Duas Luas, rio vermelho, torre de Yaztromo e Montanha de Fogo.
Referências: 400.
Ilustrações: Existem 30 ilustrações de página inteira e 5 ilustrações menores que se repetem. Os parágrafos que contém as ilustrações de página inteira são: 1, 14, 28, 42, 60, 72, 87, 102, 118, 131, 144, 158, 169, 182, 194, 210, 222, 238, 249, 262, 277, 283, 291, 305, 318, 335, 347, 360, 371 e 398.

Encontros:

  • Águia Gigante (Giant Eagle)
  • Anão (Dwarf)
  • Bárbaro (Barbarian)
  • Cabeça da Morte (Death Head)
  • Corcunda (Hunchback)
  • Doppelganger (Doppelganger)
  • Esqueletos (Skeletons)
  • Fera de Lodo do Caos (Chaos Slime Beast)
  • Fera Humana do Caos (Chaos Beast Man)
  • Fera-Cão Mutante (Mutant Dog Beast)
  • Goblins (Goblins)
  • Górgona (Gorgon)
  • Guerreiro do Caos (Chaos Warrior)
  • Guerreiro do Caos Morto-Vivo (Undead Chaos Warrior)
  • Guerreiros Esqueleto (Skeleton Warriors)
  • Harpia (Harpy)
  • Hobgoblin (Hobgoblin)
  • Homem-Rato (Wererat)
  • Homens-Lagarto (Lizard Men)
  • Metallix (Metallix)
  • Morcego Vampiro (Vampire Bat)
  • Ogro (Ogre)
  • Peixes-Navalha (Razorfish)
  • Perseguidor (Tracker)
  • Portador de Praga (Plague Bearer)
  • Senhor das Feras Mutante (Mutant Beast Lord)
  • Sentinela de Diamante (Diamond Sentinel)
  • Troglodita (Troglodyte)
  • Troll das Cavernas (Cave Troll)
  • Vampiro (Vampire)
  • Zagor (Zagor)

Erratas:

  • No livro (Jambô), consta que as ilustrações internas são feitas por Brian Williams, quando na verdade, são feitas por Martin McKenna.
  • Referências 216 e 364: onde se lê “Vá para 147”, leia-se “Vá para 247”.
  • Referência 77: onde se lê “vá para 285”, leia-se “vá para 258”.

Compre-aqui

Review por: Thiago Macieira

2 Respostas

  1. Muito bom os reviews! Dá ainda mais vontade de ler os livros!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: