Downloads



01. O Feiticeiro da Montanha de Fogo


02. A Cidadela do Caos

03. A Masmorra da Morte


04. Criatura Selvagem


05. A Cidade dos Ladrões


06. A Cripta do Feiticeiro


07. A Mansão do Inferno


08. A Floresta da Destruição


09. As Cavernas da Bruxa da Neve


10. Desafio dos Campeões


11. Exércitos da Morte


12. Retorno à Montanha de Fogo


13. A Ilha do Rei Lagarto


14. Encontro Marcado com o M.E.D.O.


15. A Nave Espacial Traveller


16. A Espada do Samurai


17. Guerreiro das Estradas


18. O Templo do Terror


19. Sangue de Zumbis


20. Ossos Sangrentos


21. Uivo do Lobisomem

08. A Floresta da Destruição

A Floresta da Destruição

A Floresta da Destruição

Título original em Inglês:
The Forest of Doom

Título em Português (PT):
A Floresta da Morte

Numeração original: #3

Autor:
Ian Livingstone

Lançamento:
Agosto 2011

Ilustrações:
Malcolm Barter

Ilustração da capa por:
Patrícia Knevitz (arte) e Ricardo Riamonde (cores)

Tradução para Português-BR:
Gustavo Brauner

Apenas os tolos ou os muito corajosos arriscariam por livre e espontânea vontade uma jornada à Floresta Madeira Negra, onde trilhas estranhas e labirínticas serpenteiam rumo às profundezas lúgubres. Quem sabe que criaturas monstruosas espreitam nas sombras ameaçadoras, ou que aventuras mortais esperam o viajante desprevenido? Será que você atreve-se a entrar?

Em uma corrida desesperada contra o tempo, nas profundezas da Floresta Madeira Negra, sua missão é encontrar as partes perdidas do lendário Martelo de Ponte de Pedra, forjado pelos anões para proteger a pacífica aldeia de Ponte de Pedra de sua antiga perdição.

A história se passa no mundo de Titan, no continente conhecido como Allansia. O protagonista é um incauto aventureiro-mercenário, que ganha sua vida com o uso de sua espada, caminhando pelas terras não-civilizadas em busca de aventuras e missões. Dependendo da interpretação, este é o mesmo herói que termina a aventura “As Cavernas da Bruxa da Neve”!. Enquanto viajava nas terras ao sul da Floresta Madeira Negra (Darkwood), ele se depara com um Anão mortalmente ferido. Após socorrê-lo ele lhe informa acerca de uma terrível maldição que se abateu sobre a sua vila. O lendário Martelo dos Anões de Ponte de Pedra (Stonebridge), pertencente ao rei Gillibran foi roubado por uma águia enviada pelos Anões malignos e rivais da cidade de Mirewater (também conhecida como Lodaçal). O Martelo dá ao portador poderes mágicos de liderança e carisma, além de extrema habilidade em combate, como o fato do martelo voltar para as mãos do usuário, caso arremessado. Entretanto a águia foi interceptada no caminho por gaviões da morte e o martelo caiu na hedionda e sinistra Floresta Madeira Negra. O lugar é o lar de criaturas malévolas e infestada de bandidos errantes, plantas assassinas, insetos gigantes e monstros sanguinários. Sem o martelo, Ponte de Pedra estará condenada, uma vez que os Trolls das Colinas, há anos interessados nas minas de ouro próximo à cidade, se mobilizam para atacar a vila. Os anões, bem como o próprio Gillibran, estão incapazes de se defenderem sem os poderes do martelo mágico. O rei enviou alguns de seus melhores guerreiros anões para o interior da densa floresta à procura do objeto, em vão. Antes de morrer, atacado por criaturas da floresta, o Anão pede ao aventureiro procurar a ajuda de Yaztromo, um mago do bem que vive em uma torre branca ao sul de Madeira Negra. Pensando nas grandes riquezas que poderá ganhar como recompensa em encontrar o martelo, o herói se apressa em procurar Yaztromo e então adentrar na floresta.

Semelhante às regras dos livros anteriores, desta vez a aventura deixa de lado as masmorras e passa a vigorar em uma floresta. Os corredores e portas dão lugar a trilhas, caminhos tortuosos, rios e colinas. É apresentado ao público pela primeira vez o rabugento mago Yaztromo e sua torre. Uma boa alma de paciência curta sempre pronto a enfrentar as forças do mal, e por isso mesmo apto a ajudar qualquer um com esta intenção, fornecendo ou vendendo itens mágicos, bem como valiosas informações. É através dele que o leitor descobre que o Martelo de Ponte de Pedra foi encontrado por Goblins na mata e dividido em duas partes, dificultando ainda mais a tarefa do herói. Yaztromo seria um dos personagens mais participativos das aventuras seguintes, aparecendo em muitas outras ocasiões, sendo considerada uma das personagens mais poderosas e sábias de toda Allansia. Munido destas informações, o herói parte para a obscura floresta. O lugar possui vários caminhos e trilhas que levam a lugares perigosos e a toda sorte de encontros com monstros errantes do lugar. Somente um motivo muito forte faria alguém entrar em um lugar tão hostil. Livingstone nos apresenta uma série de monstros que fariam parte da mitologia das Aventuras Fantásticas, entre eles seu monstro favorito, o Alterador de Formas, que é retratado em uma das capas mais bonitas de toda a série, brilhantemente ilustrada por Ian McCaig.

O livro também é característico pelo fato de não possuir um vilão. Não há a necessidade de se preparar para enfrentar um poderoso feiticeiro ou um Dragão Vermelho, pois a missão limita-se a encontrar o artefato dos Anões. A leitura é muito simples e não há nenhum enigma de grande relevãncia. O ponto positivo do livro é a variedade de monstros e personagens novos que são apresentados enquanto o negativo é a falta de enriquecimento da história em termos de enredo; o aventureiro deve encontrar os dois pedaços do martelo e ganhar a recompensa de Ponte de Pedra – simples assim! Quem sabe uma monumental batalha com os Trolls em Ponte de Pedra não traria maior qualidade à saga. Embora a busca seja um desafio em si, a história não apresenta nenhum grande clímax, exceto a referência final, que é bem melhor escrita e trabalhada do que seus dois livros antecessores. Ele também é um dos livros mais fáceis de serem concluídos, pois ele apresenta a chance de voltar para a floresta e procurar outra vez os itens, caso chegue em Ponte de Pedra de mãos vazias. Os itens de Yaztromo serão de enorme utilidade para enfrentar os desafios da floresta e conseguir atravessá-la. Além disso, é necessário encontrar pelo menos um item de vital importância para conseguir encontrar uma das partes do martelo. Os pedaços do martelo estão na área sul e norte da floresta cada um. Um deles é fácil de encontrar, mas o segundo é mais complicado. Outro ponto positivo é a descrição da floresta; sem barulhos de pássaros, rodeada com um ar úmido e pesado. O autor mexe com a nossa imaginação e nos faz sentir de fato que estamos em uma floresta maligna com a sensação de estarmos sendo vigiados a todo o momento. Longe de ser o melhor trabalho de Ian Livingstone, é um belo trabalho para aventureiros iniciantes que servirá de experiência para aventuras muito mais difíceis e melhor elaboradas.

Notas e curiosidades:

  • Em “A Floresta da Destruição” aparecem as criações favoritas de Ian Livingstone: o Alterador de Formas, como monstro e o mago Yaztromo, como personagem.
  • O Mago Yaztromo, a Floresta Madeira Negra e a vila de Ponte de Pedra reapareceriam diversas vezes em livros futuros.
  • Não obrigatoriamente, mas possível interpretativamente o protagonista é o mesmo herói de “As Cavernas da Bruxa da Neve” e também o mesmo herói do livro “O Templo do Terror”. Estas aventuras receberam pelos fãs o nome de “Trilogia de Stonebridge”.
  • O grande erro do jogo é a possibilidade do aventureiro poder iniciar a aventura outra vez e procurar o martelo, caso não o consiga na primeira tentativa. Isto pode fazer com que apareçam os mesmos encontros e a repetição de determinadas situações que não poderiam ocorrer duas vezes.
  • O livro é um dos poucos da série que não apresentam um vilão final, ou seja, não possui antagonista.
  • O livro foi relançado pela editora Wizard em 3 de Junho de 2003, com a capa desenhada por Martin McKenna.

Localização: Norte de Allansia, Titan.

Localidades: Torre de Yaztromo, Floresta Madeira Negra, Ponte de Pedra.

Referências: 400

compre-aqui

Review por: Thiago Macieira

07. A Mansão do Inferno

A Mansão do Inferno

A Mansão do Inferno

Título original em Inglês:
House of Hell

Título em Português (PT):
A Mansão Diabólica

Numeração original: #10

Autor:
Steve Jackson (Reino Unido)

Lançamento:
Janeiro 2011

Ilustrações:
Tim Sell

Ilustração da capa por:
Patrícia Knevitz (arte) e Ricardo Riamonde (cores)

Tradução para Português-BR:
Gustavo Brauner

Com o carro quebrado a quilômetros de qualquer lugar em uma noite escura e tempestuosa, sua única esperança de refúgio é o estranho casarão arruinado que você enxerga ao longe. Mas cuidado! Entrar na infame Mansão do Inferno coloca-o em uma aventura que gelará seu sangue e provocará calafrios, devido aos moradores que irão assombrá-lo para sempre! Muitos visitantes desavisados entraram na Mansão do Inferno antes de você, mas nenhum viveu para contar a história. Será que você vai conseguir sobreviver?

Seja bem vindo à casa de Drumer, embora não darei garantias de retorno! A “Mansão do Inferno” é uma casa pertencente a uma família aristocrática e proprietária de terras. No entanto o lugar é de muito difícil acesso e as pessoas só vão até lá por necessidade, nunca por vontade própria. E muitos já passaram por esta região apenas porque erraram o caminho. Um erro imperdoável! A história deste livro se passa no tempo presente em uma região pouco conhecida no interior de algum país europeu. Supõe-se que seja algum lugar no Reino Unido por causa de palavras como Mingleford (aparentemente uma cidade inglesa) e pela história que permeia uma família de aristocratas. Ele remete as histórias clássicas do gênero terror. O personagem principal é um viajante a caminho de uma reunião de negócios e que após seguir as direções de um velho, acaba por tomar uma estrada desconhecida e abandonada, castigada pela tempestade. Após sofrer um pequeno acidente com o veículo o personagem sai do veículo em busca de ajuda e encontra uma casa velha caindo aos pedaços perto da estrada. Chegando nela, o leitor descobre que a casa em seu interior é muito bonita e bem mobiliada. Ela também é ocupada pela família Drumer, antigos aristocratas que, pela situação de abandono dos campos em volta, aparentemente estão à beira da falência. Seu anfitrião é Lorde Kelnor, Conde de Drumer um indivíduo educado, alto e forte que convida o personagem principal a relaxar e a participar da janta que é servida pelo mordomo Franklins, muito embora exista um caminho para entrar na casa onde nem ao menos haverá a possibilidade de apresentação desses personagens. Em seguida é apresentado um pouco da história da região e da família representada somente por Kelnor, último remanescente dos Drumer’s. Após isto, dependendo das ações do personagem, ele poderá ser convidado a se retirar para dormir e esperar o amanhecer para chamar ajuda, pois não há telefone ou qualquer linha telefônica na casa (por ser um livro escrito na década de 80 é perfeitamente normal saber que o personagem não possui um celular ou um laptop para chamar ajuda). Após acordar no meio da noite em um quarto no segundo andar, o personagem descobre aos poucos que alguma coisa fora do normal está ocorrendo. Quando sai para investigar descobre vozes chamando, espíritos que saem das paredes, portas que se fecham para não abrir mais, corpos humanos pendurados no interior de armários, visões de enforcados, colchas que se enrolam para sufocar, mobílias que se mexem sozinhas por causa de um Poltergeist!

Se o leitor achava que isso já era estranho, então ele ficará ainda mais surpreso quando descobrir que existem zumbis atrás de cortinas, esqueletos caminhantes e vampiros. Quando o personagem liberta um estranho homem vestido de branco que estava preso, e também quando vasculha um quarto com uma velha aparentemente morta, ele descobre que a casa é amaldiçoada (ele já deveria descobrir isso só de olhar ela por fora) e que há uma seita diabólica operando nos porões da casa tendo Lorde Kelnor como Mestre. Os adoradores do diabo utilizam de sacrifícios humanos e de animais para sustentar a seita. A partir disso, o herói sente-se determinado a procurar o Conde e acabar com a organização maligna. Mas para isso ele deverá encontrar o Punhal Kris, única arma que pode ferir o Mestre da casa, além do combate ser em um aposento de paredes vermelhas para simbolizar o próprio inferno. Macabro, não?

Mansão do Inferno é um ótimo livro e que também tem um dos melhores enredos. Embora a maioria dos caminhos com certeza leva à morte e ao fim do jogo, o único caminho correto poderá ser alcançado através das dicas e pistas fornecidas por personagens durante o jogo, como por exemplo um corcunda que perambula pela casa, o qual o personagem poderá encontrar algumas vezes. O lugar está repleto de aposentos que só possuem mesmo armadilhas e monstros terríveis para amedrontar o personagem até a morte. Por falar nisso, o livro começa com um status novo conhecido como MEDO, o qual o personagem deve evitar ao máximo as assombrações do interior da casa para impedir que sua morte.

Este também é um livro onde o leitor começará a aventura sem uma arma, portanto a primeira coisa a ser pensada lá dentro é arranjar alguma arma o mais rápido possível, como uma faca de carne. Este livro também é bem famoso por ser um dos mais difíceis, pois há muitas passagens secretas que levam a morte certa e caminhos errados que não possuem mais volta.

Mansão das trevas é o único livro de terror da série (talvez junto com “Fortaleza dos Pesadelos”) que realmente possui uma introdução muito bem elaborada e clássica dos filmes do gênero. O final não é muito recompensador, muito embora você se divirta com o destino final da casa e do culto satânico, você com certeza não leva nada para casa (talvez possa vender o punhal Kris ou uma ou outra relíquia por algumas merrecas), muito embora tenha permanecido com vida. Acho que só faltou mesmo aquele susto final típico de filmes como Amityville ou Sexta-Feira 13 para deixar o livro com mais diversão, mas de qualquer forma Steve Jackson realizou um belo trabalho e com certeza os leitores mais jovens devem ter tomado alguns sustinhos nas páginas desse livro. Ah, e lembrem-se… Não bebam o vinho branco…

Notas e curiosidades:

  • O título original “House of Hell” (casa do inferno) foi traduzido nos EUA como House of Hades (Casa de Hades) por conta da pressão de movimentos religiosos locais.
  • A capa do livro original é considerado o trabalho favorito de Ian Miller á frente da série.
  • A maioria dos nomes do segundo andar são escritos com os nomes de demônios citados na Bíblia como Azazel (demônio-bode o qual os judeus temiam no deserto), Mammom (demônio que segundo Jesus era o senhor das riquezas) e Belial (demônio bíblico citado no livro de Samuel).
  • O parágrafo 264 possuía uma ilustração que foi removida por ser considerada muito forte para crianças ou adolescentes juvenis, que representava um sacrifício humano de um dos prisioneiros da casa. Na reedição do livro pela Wizard, a ilustração foi incluída novamente.
  • Este livro é uma versão estendida de uma aventura muito menor que foi escrita por Steve Jackson na Revista Warlock em sua terceira edição.

Localização: Terra.

Localidades: Desconhecido (fictício ou provavelmente Reino Unido).

Referências: 400

Review por: Thiago Macieira