27. Escravos do Abismo

Escravos do Abismo

Escravos do Abismo

Título original em Inglês:
Slaves of the Abyss

Título em Português (PT):
Escravos do Abismo

Autores:
Paul Mason
Steve Williams

Numeração original:
# 32

Lançamento (edição original):
17 de Março de 1988

Ilustrações:
Bob Harvey

Ilustração da capa por:
Terry Oakes

Tradução para Português-BR:
Lilia Leal de Oliveira

Entre seus oponentes nesta aventura está o próprio tempo! Kallamehr está indefesa. Seu exército está longe, enfrentando uma invasão ao norte e agora umanova ameaça aparece – outro inimigo no leste! Lady Carolina de Kallamehr chama você, um famoso aventureiro, para ajudá-la. Mas poderá vcê ajudar? Conseguirá preservar esse lugar de bondade contra as hordas invasoras? Ou estará tal tarefa além até mesmo de suas heróicas habilidades? Você precisará de sua inteligência tanto quanto de sua espada de aço de Fangthane para impedir que as areias do tempo engulam a cidade…

Esta aventura se passa em um período de tempo posterior aos eventos de “O Saqueador de Charadas”, onde a esposa do Barão Bluestone, Lady Carolina, tornou-se a nova governadora da cidade de Kallamehr, após a morte de seu marido. Kallamehr é uma das quatro grandes cidades-estados em torno do Mar Brilhante, junto com Agra, Bei-han e Alkemis. Quando estas cidades não estão enfrentando piratas ou bárbaros de terras distantes, estão guerreando uma contra as outras. Estes são tempos difíceis para a cidade, pois as cidades rivais de Kallamehr, em torno do Mar Brilhante, disputam cotidianamente as rotas comerciais, tanto pelo mar quanto pela terra. De acordo com os acontecimentos presentes, Kallamehr envolveu-se em uma batalha marítima contra a cidade de Alkemis, por causa das disputas pelas rotas de navegação do mar. Embora Kallamehr tenha vencido a guerra, logo em seguida, seu vizinho do norte, a cidade-estado de Bei-han, declarou guerra à Kallamehr e preparou uma nova invasão. Com isso, Lady Carolina imediatamente enviou todo seu exército para o norte para conter o exército invasor, pois seria muita mais fácil defender o território nas montanhas do norte do que na planície junto à cidade. É nesse momento de instabilidade que o herói da aventura, um aventureiro famoso e conhecido pelos maiores centros civilizados de Allansia, chega a Kallamehr. Sem a defesa dos soldados, a cidade está desprotegida e os criminosos agem livremente. Então o herói é imediatamente convocado pela Lady Carolina para comparecer à sua presença. Ao chegar no palácio, o herói descobre que outros aventureiros foram contratados para a perigosa missão. Infelizmente, o campeão da cidade, Ramedes, o Invencível, está em busca de uma valiosa relíquia, e portanto, ausente. A governadora relata a situação da cidade e como um novo exército desconhecido se aproxima vindo pelo leste. Não se sabe quem eles são e nem de onde vem. Embora suspeite-se de serem bárbaros das Ilhas Kulak, não se sabe o motivo desta nova invasão, e com o exército longe, a cidade está desprotegida e o tempo é curto. Se nada for feito, a cidade será dizimada. Com os objetivos da missão esclarecidos, o herói precisa de alguma forma descobrir quem ou o que está ameaçando a cidade e de algum modo inverter a situação a favor de Kallamehr. Com o isso, o herói viaja em direção ao leste, pelos arredores da cidade e o que encontra o deixa completamente aturdido. Vilas inteiras abandonadas e desertas, campos largados aos corvos e caos por toda parte. Não se sabe o paradeiro dos habitantes das vilas e o mistério paira por toda parte. Nesse ínterim, o herói descobre que existe um grande traidor na corte de Lady Carolina, que secretamente envia informações para o inimigo no leste e que também vem enviando assassinos para matar os aventureiros contratados, inclusive o próprio leitor, e precisa descobri-lo antes que seja tarde demais. Após retornar a Kallamehr para trazer notícias do inimigo, o herói descobre que a governadora da cidade morreu de circunstâncias misteriosas e um grande funeral está sendo preparado. O tempo se escasseia…

Esta aventura é muito bem escrita e também muito bem trabalhada tanto os encontros como os lugares vasculhados são bem planejados e nunca postos à toa. A primeira coisa a se notar, contudo, é a péssima ilustração da capa, onde um homem feio e carrancudo, parecendo o Drácula, olha de soslaio e atrás dele, há uma cela com centenas de prisioneiros no espaço (…). Quem olha acredita ser mais um livro de ficção científica. Por conta da presença do escritor Paul Mason, conhecido por ser um escritor altamente linear (e também autor de “O Saqueador de Charadas”, o livro acaba se tornando um pouco difícil de se executar. Mas Mason também é conhecido por causa de seus livros onde o que mais importa é a interação entre os personagens, portanto diálogos, intrigas e esquemas maléficos não vão faltar, principalmente quando o herói retorna à cidade, onde um evento terá ocorrido na cidade, a misteriosa morte de Lady Carolina, a governadora da cidade e contratante do aventureiro. Um clima de mistério perdura no ar e somente a atenção nos mínimos detalhes do leitor mais sagaz poderá ser capaz de descobrir o verdadeiro culpado e desbaratar o traidor. Outro fator de enriquecimento à história é a participação especial de um dos personagens mais conhecidos do mundo de Titan – o Saqueador de Charadas. Como agente especial dos deuses da Sorte e do Acaso, ele será de grande ajuda ao herói, pois, não é seu desejo que o Mal ou o Bem triunfem, mas que haja sempre um equilíbrio entre as partes. Sem a ajuda do Saqueador, o leitor não terá chances de concluir a aventura, portanto, não perca tempo. Outro local de grande destaque para a história é a Floresta Móvel, onde, para encontrar a ajuda de uma Sábia, o leitor deverá encontrá-la dentro de uma floresta muito estranha, que é praticamente um labirinto, onde, se o leitor não tiver força de vontade, rapidamente ele desistirá de tentar encontrar a saída. Alguns monstros enfrentados são também muito intrigantes e perturbadores, como o Vespão Assassino da referência 57, o Simbionte de Formigas, o atacante desconhecido das adegas na vila abandonada que tenta afogar o herói no vinho, etc. No entanto uma das vantagens do livro é que dá para completá-lo mesmo com ENERGIA e HABILIDADE em índices baixos.

O livro também possui um limite de tempo (que deve ser acompanhado pelo jogador através da Folha de Tempo, que acompanha o livro); caso o leitor não consiga parar o exército inimigo dentro do tempo estimado, Kallamehr será invadida e o livro terá terminado em fracasso. Escravos do Abismo é um livro que possui talvez um dos mais exóticos e inimagináveis das conclusões que nenhum outro livro proporcionaria. Existe um plano desconhecido paralelo ao mundo de Titan, conhecido como Abismo, e o Mestre do Abismo, conhecido como Bythos, escraviza as almas de pessoas na terra, e comanda seus corpos ao seu bem querer. Seu objetivo é a completa destruição de Kallamehr e nada pode destruí-lo, pois ninguém sabe como pará-lo. Portanto, a missão do herói mudará drasticamente no final do livro, pois ele deverá libertar essas almas escravizadas do abismo, o que poderá custar um grande sacrifício de sua parte e a abnegação de tudo aquilo que um dia ele lutou. O herói, posteriormente, deverá encontrar a entrada para essa dimensão paralela, derrotar o Senhor do Abismo e libertar os escravos. Muitos torceram o nariz pela conclusão deste livro, mas, sinceramente, é um final alternativo e que o diferencia das habituais referências 400 dos livros anteriores, onde o herói resgata sua recompensa e sai à oeste em direção ao pôr do sol. Portanto, é um livro onde o leitor vai odiar ou gostar muito. Escravos do Abismo é um livro que possui talvez um dos mais exóticos e inimagináveis das conclusões que nenhum outro livro proporcionaria. Existe um plano desconhecido paralelo ao mundo de Titan, conhecido como Abismo, e o Mestre do Abismo, conhecido como Bythos, escraviza as almas de pessoas na terra, e comanda seus corpos ao seu bem querer. Portanto, a missão do herói mudará drasticamente no final do livro, pois ele deverá libertar essas almas escravizadas do abismo, o que poderá custar um grande sacrifício de sua parte e a abnegação de tudo aquilo que um dia ele lutou. Mas essa conclusão deverá ser tirada pelo próprio leitor. Muitos torceram o nariz pela conclusão deste livro, mas, sinceramente, é um final alternativo e que o diferencia das habituais referências 400 dos livros anteriores, onde o herói resgata sua recompensa e sai a oeste em direção ao pôr do sol. Um dos pontos fracos do livro são as ilustrações, que mostram poucos detalhes e são sem graça (com algumas exceções, como a da referência 298, que é uma das minhas favoritas). Uma das minhas partes favoritas do livro é o atentado que o herói sofre dentro de uma estalagem, de uma criatura alada e, na fuga, o herói encontra seu antigo mestre de arma que lhe ensina um artifício fundamental para se concluir a história. Escravos do Abismo é um dos livros mais exóticos já escritos da série, mas a quantidade de situações em que o herói vivencia, a virada de rumo que a história toma quando Lady Carolina é assassinada, o treinamento do Vôo Cuspidor (um artifício de jogar a espada no inimigo), os diálogos e as cenas de interpretação e investigação, bem como o próprio Abismo fazem desta obra uma das melhores histórias da série. Não a melhor, mas com certeza uma boa diversão.

Notas e curiosidades:

  • Alguns nomes e lugares desse livro foi retirado de “mil e uma Noites”, incluindo “Asiah” Albudur, Dunyazad, Ikhtyan e Yunan. Outros nomes estão relacionados com o movimento do Gnosticismo, como Bythos, Enthymesis e Aletheia.
  • Bythos deriva do grego antigo e quer dizer “profundo, especialmente do mar”. Enthymesis quer dizer “consideração” e Aletheia quer dizer “verdade”.
  • Em duas ilustrações, a 216 e a 298, a espada do jogador é mostrada, mas seu design é diferente em ambas.
  • O livro possui uma das maiores “taxas de mortalidade” da série: são 48 referências de morte imediata das 400, ou seja, quase 1/8 do livro.
  • O Saqueador de Charadas é o vilão principal de um livro-jogo (RPG) da série de mesmo título.
  • Por causa da espada de aço de Fangthane (Uma cidade de Anões no norte de Allansia) o herói tem a chance de derrotar imediatamente seu inimigo ao tirar duplo 6 nos dados de ataque.

Localização: Allansia, Titan.
Localidades: Cidade de Kallamehr, O Abismo.
Referências: 400

Review por: Thiago Macieira

Anúncios

12 Respostas

  1. Alguem tem este livro k me venda?

  2. Cara, a julgar pela capa achei que esse livro nem era em allansia e achei que não devia ser um livro bom, mas ao ler algumas partes do review, percebi que deve ser bem legal.
    Com certeza a arte da capa está rium.
    XD

  3. pago 30 reais para quem quizer vender esse livro
    contato vidaobscura@yahoo.com.br

  4. Eu tenho o livro-jogo que se passa antes dessa aventura, “O Saqueador de Charadas”. Não esperava que pudesse encontrar Kallamehr em outro livro da série. Excelente história, é muito bom voltar à cidade sem a presença (desgraçada) do Saqueador.

  5. Compro esse livro, quem se intessar entrar em contato comigo aqui.

  6. Pago R$ 100,00 por este livro.

  7. Esse eu nunca joguei, mas tenho interesse. Alguém possui e gostaria de trocar pelo Talismã da Morte? Beijos.

  8. Alguém aí possui a folha de tempo deste livro?

  9. Falta só esse para terminar minha coleção, sem alguem quiser vender….

  10. eu compro esse livro. juniko.tw@hotmail.com

  11. A lateral do meu livro “escravos do abismo” da marques saraiva é azul. Isso é normal? Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: